Pesquisar este blog

Carregando...

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Museu londrino expõe tecidos dourados feitos com teia de aranha

As maiores peças de roupa já tecidas com seda de aranha vão ser expostas no Museu Victoria and Albert, em Londres, a partir da semana que vem (25 de janeiro a 5 de junho).

Foto: John Brown
Uma elaborada capa bordada e uma echarpe de quatro metros de comprimento foram feitas inteiramente com a seda dourada de mais de um milhão de aranhas da ilha africana de Madagascar (Nephila madagascariensis).

Foto: Victoria and Albert Museum
O projeto foi criado por Simon Peers e Nicholas Godley, que vivem em Madagascar, e decidiram em 2003 criar tecidos com a seda das aranhas.

Foto: John Brown

A seda é produzida pelas fêmeas. Uma equipe de 80 homens e mulheres capturou aranhas, coletou as teias e as devolveu à natureza, todos os dias por sete anos para conseguir produzir uma quantidade suficiente de seda dourada.

Foto: Victoria and Albert Museum
O tom dourado e o brilho dos tecidos são naturais da seda da aranha de Madagascar. "Isso é fantasia, é magia. Atrai e encanta", diz Nicholas Godley. "É um pouco de poesia, na verdade."

Foto: John Brown
"Nós dois pensamos que essa era a coisa mais louca que poderíamos fazer e que ninguém tivesse feito antes", diz Simon Peers, que admite ainda ter medo de aranhas, apesar do projeto.

Foto: Victoria and Albert Museum

Fonte: http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2012/01/120120_galeria_aranhar_tecidos_is.shtml

sábado, 4 de fevereiro de 2012

Aranhas macho se castram durante cópula para elevar chance de paternidade

Algumas aranhas macho se castram voluntariamente durante o processo reprodutivo para aumentar suas chances de procriar, indica um estudo publicado na última quarta-feira no periódico Biology Letters.
Quadrado vermelho mostra um órgão sexual masculino quebrado inserido em uma aranha fêmea (Foto:Joelyn Oh)


Os machos rompem seu próprio órgão sexual no meio da cópula, o que permite que continuem inserindo esperma na fêmea mesmo depois de eles próprios já terem se afastado da parceira.

O afastamento rápido após o ato sexual tem uma explicação: as aranhas fêmeas costumam devorar seus parceiros em seguida à procriação.
Há até pouco tempo, os biólogos não entendiam o comportamento dos machos, já que a autocastração os deixa estéreis. Mas os pesquisadores agora creem que a autoimolação aumenta a quantidade de esperma colocado na fêmea e dá ao macho mais chances de gerar filhotes.

Castração total

Quebrar a ponta do palpo (um apêndice dos artrópodes) durante o ato reprodutivo é algo relativamente comum em aranhas - acredita-se que como uma forma de impedir que outros machos copulem com aquela fêmea e de proteger o macho do canibalismo feminino.
Mas a castração total não era considerada necessária para evitar esses problemas.
Sendo assim, os cientistas tiveram de buscar outras explicações para esse comportamento drástico, conhecido como o "fenômeno eunuco".
Entre as teorias levantadas está a do "melhor lutador" - eunucos (estéreis) são mais agressivos e ágeis se comparados com machos de órgãos sexuais intactos.
Mas Daigin Li, da Universidade Nacional de Cingapura, e seus colegas decidiram testar outra hipótese: se a castração resultava na continuidade da transferência de esperma a fêmeas da espécie Nephilengys malabarensis.
Os estudiosos dissecaram as aranhas e, com microscópios, contaram o esperma.

Controle da relação

Os resultados mostram que a inserção de esperma do palpo rompido continua mesmo depois do fim do ato sexual. Quanto mais tempo o órgão rompido ficar dentro do corpo da fêmea antes de ser removido, mais esperma é transmitido, e maiores são a chances de paternidade.
Os pesquisadores também descobriram que, ainda que tanto machos quanto fêmeas tomem a iniciativa de quebrar o órgão sexual masculino, o ato sexual tem duração mais curta quando essa castração é feita pela fêmea - o que reduz o potencial reprodutivo da relação.
Sendo assim, os autores do estudo acreditam que a autocastração do macho seja, também, uma maneira de ele controlar a duração do ato sexual e monopolizar a fêmea por mais tempo.
No artigo escrito à Biology Letters, os cientistas dizem acreditar que o macho se castre também para se beneficiar do aumento de sua própria agressividade.


segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

05/01/2012 10h39 - Atualizado em 05/01/2012 12h43 Exposição em Paris revela a beleza oculta das aranhas


Uma exposição dedicada exclusivamente às aranhas está em cartaz no Museu Nacional de História Natural de Paris.
Os organizadores querem que os visitantes conheçam melhor o fascinante universo das aranhas e derrubem preconceitos sobre esses animais que apareceram na Terra há mais de 500 milhões de anos.
"As pessoas conhecem muito pouco, mas se sentem atraídas por tudo o que é relacionado às aranhas", diz o especialista Frédérik Canard, curador da mostra.
A exibição revela dados e características deste predador eficaz e fala de seu importante papel na cadeia alimentar, mas também aborda crenças e mitos envolvendo as aranhas em diversas partes do mundo.
Em partes da África, por exemplo, elas representam sabedoria e inteligência, enquanto mulheres na Sibéria as comem para "aumentar sua fertilidade". A exibição vai até o dia 2 de julho de 2012.
Uma exposição dedicada exclusivamente às aranhas está em cartaz no Museu Nacional de História Natural de Paris. Os organizadores querem que os visitantes conheçam melhor o fascinante universo das aranhas e derrubem preconceitos. (Foto: Sébastien Damoiseau/BBC)
As aranhas apareceram na Terra há mais de 500 milhões de anos. "As pessoas conhecem muito pouco, mas se sentem atraídas por tudo o que é relacionado com as aranhas", diz o especialista Frédérik Canard, curador da mostra. (Foto: Patrick Maréchal/BBC)
As aranhas são capazes de viver em condições inóspitas. Algums sobrevivem debaixo da terra ou da neve e até na água. Os organizadores da exposição dizem ainda que não é preciso temê-las. Das 41 mil espécies conhecidas no mundo, apenas uma dezena possui um tipo de veneno perigoso para humanos. (Foto: Bernard Le Garff/BBC)
Segundo os especialistas, ter algumas aranhas em casa pode ser útil. Elas funcionam como inseticidas naturais já que comem os insetos a seu redor. (Foto: Sébastien Damoiseau/BBC)
Há décadas cientistas estudam as teias de aranhas, feitas de fios mais resistentes que o aço, e tentam produzir a seda em maior escala. O objetivo é desenvolver materiais revolucionários para a medicina e engenharia. (Foto: Bernard Le Garff/BBC)
Parte do corpo de uma aranha é visto com a ajuda de um microscópio. Há muitas lendas e contos sobre aranhas, inclusive no cinema. Em alguns filmes, aranhas perseguem os personagens com suas enormes garras, mas na realidade seu tamanho médio é de apenas cinco milímetros e nem todas têm pelos. (Foto: Alain Canard, CMEBA, Université de Rennes 1/BBC)
FONTE: http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2012/01/exposicao-em-paris-revela-a-beleza-oculta-das-aranhas.html

Aranhas minúsculas têm o corpo preenchido por cérebro



Estudo identificou que sistema nervoso central de aranhas ocupa 80 por cento da cavidade corporal
Um novo estudo revela que as aranhas muito pequenas possuem cérebros grandes a ponto de preencher as cavidades do corpo, estendendo-se até as patas.
Os pesquisadores mediram o sistema nervoso central de nove espécies de aranhas de diversos tamanhos. Embora as menores tivessem cérebros menores em termos absolutos, em termos relativos os cérebros delas eram enormes.
A tendência básica foi que, quanto maior a aranha, maior o seu cérebro proporcionalmente ao corpo.
Os pesquisadores concentraram os estudos nas aranhas tropicais do Panamá e da Costa Rica, entre as quais há diversas espécies de tamanhos variados. As espécies maiores do estudo pesavam 400 mil vezes mais que as menores.
Uma vez que nas aranhas menores a participação do cérebro no corpo é maior, elas conseguem criar os mesmos tipos de teias complexas que as aranhas maiores, afirmou Eberhard.
Em termos comportamentais, as aranhas menores são tão competentes quanto a aranha maior.

Fonte: Último segundo

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

A aranha que imita formiga!!

O disfarce destas aranhas também permite que elas circulem entre as formigas, inclusive predadoras de aranhas, mais facilmente. Também ajuda a se aproximar de formigas que sirvam de presa.

clique para ampliar
Por serem aracnídeos, as aranhas têm um arranjo corporal diferente do das formigas, que são insetos. As aranhas têm 8 patas e não têm antenas, de modo que precisam erguer seu primeiro par de patas para a frente, parecendo antenas. Seu corpo tem 2 segmentos – tórax e abdome – ao invés dos 3 dos insetos – cabeça, tórax e abdome. E por último, aranhas têm mais do que 2 olhos.
As figuras abaixo mostram várias aranhas que mimetizam formigas, não necessariamente todas são Myrmarachne sp..




terça-feira, 27 de dezembro de 2011

O NAMORO DAS ARANHAS E AS OOTECAS

O final do outono, quando as chuvas escasseiam em boa parte do Brasil, é tempo de namoro para as aranhas. A maioria das fêmeas tem uma pequena bolsinha dentro do corpo, própria para guardar o sêmen dos machos, como um banco de esperma particular. Terminado o romance, ela se recolhe em sua toca e espera os óvulos amadurecerem, enquanto tece um ninho de seda para os ovos (ooteca).

Só quando está tudo pronto é que ela recorre à pequena bolsinha de sêmen, fertilizando os ovos, já depositados no tal ninho. Se as condições de clima e de abrigo não são muito favoráveis, ela pode guardar o sêmen até se considerar pronta para a maternidade...
As fêmeas de algumas espécies conseguem, inclusive, usar o sêmen em doses homeopáticas: um pouco nos primeiros dias, um pouco dali a semanas e outro pouco só depois de meses!

Durante a época seca e/ou fria do inverno, a fêmea mantém o saco de ovos sob vigilância. Os filhotes só vão eclodir no início da primavera, quando há umidade e fartura de alimento (em geral, insetos). A essa altura, os machos doadores de esperma já estão mortos. Ou quase.




Ooteca

Os ovos das aranhas são esféricos e raramente ultrapassam o milímetro de diâmetro. Geralmente são brancos, cremes ou amarelados mas podem ser de tons rosados, castanhos ou verdes. Nas aranhas, os ovos nunca são deixados directamente expostos ao meio ambiente. São depositados em grupos compactos e envoltos com seda. A este invólucro e respectivos ovos, dá-se o nome de ooteca. Normalmente, a ooteca é formada por duas camadas espessas de seda que são depois unidas em volta dos ovos. Cada ooteca pode conter um número variável de ovos entre 2 a 2 000 de uma forma geral. Existem vários tipos, formas e cores de ootecas e cada aranha pode fazer apenas uma ou várias em cada ano dependendo da espécie.
O facto de os ovos se encontrarem protegidos por uma ooteca, possui diversas vantagens, como, por exemplo, a manutenção da humidade e temperatura certas no seu interior protegendo os ovos de grandes variações e permitindo o seu desenvolvimento de forma menos dependente das condições externas. Outra vantagem é a protecção que oferece contra predadores de ovos ou parasitas. A seda, por ter propriedades antibióticas, protege também os ovos de serem atacados por fungos e bactérias. Muitas vezes, esta protecção é potenciada pelos cuidados das fêmeas como será descrito mais à frente. Numa ooteca, não é apenas o aspecto que varia mas também o tipo de seda utilizada e o processo de fabrico. As aranhas usam diversos tipos de seda para sua a construção e frequentemente na mesma ooteca são empregues dois ou três tipos distintos de seda com propriedades características.



Fonte: http://www.revistabrasileiros.com.br/edicoes/47/textos/1587/
http://www.flickr.com/photos/jlmosca/3890309039/

ARANHAS: SÃO REALMENTE VENENOSAS????

As aranhas, escorpiões e lacraias pertencem ao grupo dos animais peçonhentos, isto é, têm glândulas de veneno e ferrão para injetá-lo. Existem no Brasil milhares de espécies, mas a maioria desses animais não oferece perigo ao homem. As espécies abaixo podem provocar sintomas de envenenamento. Os acidentes podem ser fatais, principalmente em crianças.
O maior número de acidentes é provocado pela Aranha Armadeira, por ser agressiva e freqüente em residências. A Aranha Marrom é considerada a mais venenosa. As aranhas peçonhentas não fazem teias, exceto a Aranha Marrom, sua teia é irregular e semelhante a um chumaço de algodão. Teias bonitas, encontradas nos tetos das casas, não pertencem a aranhas peçonhentas.
Armadeira (Phoneutria)
Cor cinza ou castanho escuro, corpo e pernas com pêlos curtos. Atingem até 17 cm quando adultas, incluindo as pernas (corpo: 4 a 5 cm). Escondem-se em lugares escuros, vegetação, calçados, etc., de onde saem para caçar, em geral à noite. Por serem muito agressivas os acidentes são comuns, podendo ser graves para crianças menores de 7 anos. Uma dor intensa no local da picada é o sintoma predominante. 

Onde são encontradas?
Não são agressivas, vivem em teias irregulares (parecidas com um lençol de algodão) que constroem em tijolos, telhas, barrancos, cantos de parede, etc . Os acidentes são raros, mas em geral graves. Os primeiros sintomas de envenenamento são uma sensação de queimadura e formação de uma ferida no local da picada.
Como tratar?
O tratamento, feito com soro ANTIARACNÍDICO OU ANTILOXOSCÉLICO.
Aranha Marrom (Loxosceles)
Atingem de 3 a 4 cm incluindo as pernas (corpo: 1 a 2 cm). Não são agressivas, vivem em teias parecidas com um lençol de algodão que são construídas em tijolos, telhas, barrancos, cantos de parede, etc. Dentre as aranhas brasileiras, é a que possui o veneno mais tóxico. Os acidentes são raros, mas em geral graves. Os primeiros sintomas de envenenamento são uma sensação de queimadura e formação de uma ferida no local da picada. 
Viúva Negra (Latrodectus)
Cor preta, com manchas vermelhas no abdômem. Fêmea com 2,5 a 3 cm (corpo: 1 a 1,5 cm); macho 3 a 4 vezes menor. Vivem em teias que constroem sob vegetação rasteira, arbustos, barrancos, etc. São conhecidos apenas alguns acidentes no Brasil, de pequena e média gravidade e, por esse motivo, não é produzido soro contra as espécies brasileiras.
Aranha de grama
(Lycosa sp)

Cor acinzentada ou marrom, com pêlos vermelhos perto dos ferrões e uma mancha escura em forma de flecha sobre o corpo. Atinge até 5 cm de comprimento incluindo as pernas (corpo de 2 a 3 cm).
Vivem em gramados e residências. Os acidentes são freqüentes, porém sem gravidade. Não há necessidade de tratamento com soro. 
Viuva Negra
(Latrodectus sp)
Cor preta, com manchas vermelhas no abdômen. Fêmea com 2,5 a 3 cm (corpo de 1 a 1,5 cm); macho 3 a 4 vezes menor. Vive em teias que constrói sob vegetação rasteira, em arbustos, barrancos, etc. São conhecidos apenas alguns acidentes no Brasil, de pequena e média gravidade e por isso não é produzido soro contra as espécies brasileiras.
Aranha Caranguejeira
Aranhas geralmente grandes, com pêlos compridos nas pernas e abdome. Embora muito temidas, os acidentes são raros e sem gravidade e por esse motivo não é produzido soro contra seu veneno.
Aranha de teias (Nephila sp e outras)
As aranhas que fazem teias aéreas geométricas (circular, triangular, etc.) não oferecem perigo, mesmo as que atingem grandes dimensões.
Lacraias
Possuem dois ferrões na parte debaixo da cabeça, com os quais podem inocular o seu veneno. Não se conhecem entretanto acidentes graves e não se faz soro antiveneno para tratamento da picada desses animais.
CONTROLE E PREVENÇÃO
As seguintes medidas são eficazes para controle e prevenção de acidentes:
  • Manter limpos quintais, jardins e terrenos baldios, não acumulando entulho e lixo doméstico;
  • Aparar a grama dos jardins e recolher as folhas caídas;
  • Vedar soleiras de portas com saquinhos de areia ou friso de borracha, colocar telas nas janelas, vedar ralos de pia, tanque e de chão com tela ou válvula apropriada;
  • Colocar o lixo em sacos plásticos, que devem ser mantidos fechados para evitar aparecimento de baratas, moscas e outros insetos, que são o alimento predileto de aranhas e escorpiões;
  • Examinar roupas, calçados, toalhas e roupas de cama antes de usá-las;
  • Andar sempre calçado e usar luvas de raspa de couro ao trabalhar com material de construção, lenha, etc.
INSETICIDAS
Para evitar aranhas e escorpiões, o uso periódico de inseticidas não é a melhor solução. Além do alto custo, a aplicação desses produtos tem efeito apenas temporário e pode provocar intoxicações em seres humanos e animais domésticos. O ideal é coletar as aranhas e escorpiões e remover o material acumulado onde estavam alojados, o que evitará a reinfestação.
PRIMEIROS SOCORROS
Nos acidentes por aranhas e escorpiões com dor intensa, práticas como espremer ou sugar o local da picada, tem demonstrando ser de pouca eficácia. O tratamento sintomático, à base de anestésicos e análgésicos, têm sido utilizado com resultados satisfatórios na maioria dos casos. Se o acidentado for criança menor de 7 anos, o procedimento mais indicado é vir ao Hospital do Instituto Butantan, que está sempre aberto
OBS. Capturar o animal que causou o acidente e trazê-lo junto com a pessoa picada, facilita o diagnóstico e o tratamento correto.